12. O Islam apóia a solidariedade social

June 22, 2013 in A Última Religião Divina ISLAM

Por natureza os seres humanos são criaturas sociais. A humanidade não pode viver sozinha. Eles necessitam de outros seres humanos que vão estabelecer estreitas relações e criar vínculos. A cima disso, o homem foi criado fraco e não são capazes de satisfazerem sozinhos todas as suas necessidades. Então, a humanidade deve viver junta como uma comunidade, eles devem se ajudar mutuamente e devem realizar suas obrigações para com Deus juntos. O Mensageiro de Deus (que a paz e as bênçãos estejam com ele) ordenou o seguinte:

“A mão (ajuda) de Allah esta com a comunidade. Quem quer que seja que deserte da comunidade acabará no caminho do inferno.” (Tirmizi, Fiten, 7,2167)

“Comunidade é uma bênção, separação em facções é um tormento.” (Ahmad Ibn Hanbal, IV, 278)

Todos os atos de adoração como orações em congregação, oração de sexta-feira, orações em datas festivas, Peregrinação (Al-Hajj), a obrigatoriedade de se dar esmolas, auxiliar o meio de vida das pessoas, sacrifício e as relações sociais estabelecidas entre os humanos como cerimônias de funeral, cerimônias de casamento, visitar os doentes, manter o relacionamento com os familiares forte e saudável, preocupar-se com os necessitados sempre encorajam as pessoas a serem sociáveis. Claro, surgem alguns problemas quando as pessoas interagem. Paciência, persistência e tolerância são as chaves. O Islam promete grandes recompensas ao muçulmano que vive em sociedade e assume seus encargos com as pessoas.

Nosso mestre o Profeta (s.a.a.s) costuma referir-se a todas as pessoas de maneira gentil e nunca quebrar o coração das pessoas apesar de ele se incomodar com pessoas rudes e sem modos. Seu tio ‘Abbas (Que Allah esteja satisfeito com ele) sentiu pena da situação do Profeta (s.a.a.s) e disse:

“Ó Mensageiro de Deus, eu vejo que estas pessoas estão te aborrecendo, eles estão a incomodar como a poeira que eles levantam. Por que você não faz uma tenda especial e conversa com as pessoas lá?” Nosso Mestre (que a paz e as bênçãos estejam com ele) que foi enviado como uma misericórdia a todos os mundos, disse:

“Não! Até que Allah me leve deles e retire de mim minha serenidade eu continuarei com eles. Isso não importa, deixa eles pisarem nos meus calcanhares, puxar minhas roupas ou me incomodar com a poeira que eles estão levantando!” (Veja Darimi, Muqaddimah, 14; Ibn-I Shayba, Musannef, VII, 90; Ibn-i Sa’d, 193)

O Mensageiro de Deus (que a paz e as bênçãos estejam com ele) recomendou a mesma coisa para a sua nação:

“O muçulmano que convive com as pessoas e suporta as angustias que elas lhe causam é melhor do que o muçulmano que não é presente com elas e que evita suportar a angustia.” (Tirmizi, Kiyamah, 55/2507)

O Islam direciona as pessoas para uma vida dinâmica e para atividade sociais ao nos ordenar o trabalho para obter o sustento, casar e ter filhos, ajudar as pessoas que passam dificuldades, ser a mão que dá, utilizar bem o seu tempo, utilizar o mundo como um local para ganhar o próximo mundo (paraíso) e seu Maximo nível, declara a verdade para toda a humanidade e conduzi-los para longe do erro, defender os bens materiais, a vida, a castidade, a saúde das gerações e do país… Inculcando que “todo aquele que realizar uma boa ação vera sua recompensa, e todo aquele que realizar uma má ação vera sua recompensa, mesmo que a ação seja do tamanho de um átomo.”[1] O Islam facilita uma vida mais cuidadosa, ativa e alerta.



[1].      Az-Zalzala (O Terremoto), 99: 7-8; Al-An’âm (O Gado),6: 104; Az-Zumar (Os Companheiros), 39: 41; Fussilat (Os Detalhados), 41: 46; Al-Jathiya (O Genuflexo), 45: 15.