3. Fornicação

June 22, 2013 in A Última Religião Divina ISLAM

A fornicação e o adultério sempre foram vistos como um erro e um comportamento anti-social pelo intelecto humano, moralidade, sistemas legais e por todas as religiões divinas. O adultério mistura as linhas sanguíneas e desmantela as famílias, precipitando a dissolução de laços como o parentesco, a vizinhança e a amizade, do mesmo modo, comprometem as raízes dos valores espirituais e morais da sociedade. Tal comportamento faz dos seres humanos escravos dos seus desejos carnais denegrindo a honra e a dignidade humana.

Fornicação e adultério também possuem muitas conseqüências desastrosas para a saúde. Pessoas que se satisfazem sexualmente essa forma são mais propicias a adquirirem algum tipo de doenças sexualmente transmissíveis (DST’s) como sífilis e gonorréia. A mortífera doença anti-imunitária conhecida como AIDS, que a medicina ainda não obteve a cura, espalha-se principalmente através de relações sexuais ilícitas.

Allah Todo-Poderoso que ama muito os Seus servos não quer que eles falhem nestes atos hediondos. Por esta razão, ele nos proibiu qualquer aproximação com a fornicação, para não mencionar cometê-la. Ele disse:

“… não vos aproximeis das obscenidades, tanto pública, como privadamente, e não mateis, senão legitimamente, o que Deus proibiu matar. Eis o que Ele vos prescreve, para que raciocineis.” (An’ma (O Gado) 6:151)

“Evitai a fornicação, porque é uma obscenidade e um péssimo exemplo!” (Al-Isra’ (A Viagem Noturna) 17:32)

Isto significa que nós devemos nos afastar de qualquer caminho ou sentido que promova as bases para o adultério. O Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos estejam com ele) expressou da seguinte maneira o quão perigoso para os corações é um olhar desnecessário:

“Olhar para o que é proibido é uma das flechas venenosas de Satanás. Quem sair de (modo) a respeitar Allah, Allah lhe concedera uma crença cuja doçura será sentida pelo coração.” (Hakim, IV, 349/7875; Haythami, VIII, 63)

Por esta razão, o Islam primeiramente toma precauções como o ato de homens e mulheres de cobrir-se decentemente de acordo com o código de vestimenta prescrito pela religião, ordenando manter-se longe de comportamentos que vão indevidamente chamar a atenção uns dos outros. Proibindo o isolamento entre homens e mulheres quando estes são legalmente estranhos uns aos outros, prevenindo assim a perversidade na sociedade. Isto porque palavras, olhares ou relações muito próximas podem levar as pessoas a pensamentos indevidos direcionados a caminhos condenáveis como ações que pavimentam o caminho para o adultério. O Islam nem sequer para por ai, ele autorga deveres para as famílias e sociedade de educar as crianças, desancoselha que se atrase a idade para casamento a não ser que haja alguma necessidade, facilita o matrimonio aos casais que manifestam o desejo de unir-se e mantêm os  valores religiosos e morais vivos na sociedade.

Como pode ser visto nessas diretrizes o Islam não tem como objetivo punir o erro, mas  fazer com que o povo viva em segurança e serenidade prevenindo que um ambiente de criminalidade se forme na sociedade. Ainda, na História das sociedades islâmicas o castigo por adultério foi raramente visto.

Além dos pecados listados anteriormente os Islam também proíbe estritamente os seguintes pecados: Homicídio, feitiçaria, opressão, desobediência aos pais, mentira, traição, fofoca (falando sobre as pessoas de uma maneira que elas não gostariam de ser vistas), abusar dos bens e propriedades herdados por um órfão, caluniar, roubar e os jogos de azar.[1]



[1].      Bukhari, Shehâdât, 10; Vasâyâ, 23; Muslim, Birr, 55, 56; Abu Dawud, Adab, 35/4875; Ahmad, III, 154, 135. Para mais detalhes ver: Murat Kaya, Efendimiz’den Hayat Ölçüleri (Critérios para a Vida do Nosso Mestre o Profeta), Istanbul 2007, pp. 308-458.