2 Bebidas Alcoólicas.

June 22, 2013 in A Última Religião Divina ISLAM

Bebidas alcoólicas são bebidas que são prejudiciais e completamente contrárias à natureza humana. Em seu estado natural os seres humanos são sóbrios e vigilantes, não sendo aceitável a perda do controle ou tornar-se de algum modo sonolento e preguiçoso. O resultado do abandono deste estado de alerta geralmente conduz a pessoa a cair em desvio. Este último caminho descrito é inevitável para aqueles que vêem o consumo de álcool como algo natural.

O Consumo de bebida alcoólica é uma grande causa de prejuízo tanto para o individuo quanto para a sociedade. A ingestão de bebida alcoólica prejudica a capacidade mental, enquanto que todos os assuntos de ambos os mundos só podem ser conduzidos com a faculdade mental da inteligência. Quando as pessoas estão com a sua capacidade mental perdida elas podem cometer erros inacreditáveis. Os espíritos do fogo esperam que uma faísca de seu fogo caia sobre tais pessoas para estas sejam tocadas pelo mal em suas mentes e corações e se tornem escravas do vicio pelo álcool.

Através do álcool e dos jogos de azar o Satanás infunde entre as pessoas  a animosidade e a inimizade e as coloca umas contra as outras. Impedindo as pessoas de relembrar Allah, praticar as orações e outros atos de adoração ele as transforma em indigentes nesta vida e na próxima. Em suma, Satanás destrói tanto a sua vida material quanto a sua vida espiritual.[1]

O professor russo Rachinsky disse estas sábias palavras:

“Satanás espera dentro da garrafa de bebida alcoólica e depois leva consigo todos os viciados que ele possui. Ele tira dessas pessoas ultima camiseta que eles têm e o ultimo alimento que seus bebês tem. Além disso, o Diabo tira das pessoas suas famílias e escraviza sua saúde, sua castidade, sua consciência, sua alegria, seu prazer, sua serenidade e sua felicidade. Como ele quebra a resolução e disposição para o trabalho, ele também priva-os de todo o tipo de rendimento. Em primeiro lugar, se pensarmos o quanto de trabalho intermediário é gasto em vão na produção de bebidas alcoólicas e se nós sutilmente calcularmos a quantidade de comida, bebida e trabalho é desperdiçada indevidamente no preparo de muitos tipos de bebida alcoólica! Se somássemos as toneladas de trigo, ameixas, figos e uvas que as pessoas desperdiçam de forma imprudente no pântano do álcool, nunca haveria a escassez ou o encarecimento dos alimentos no mundo. Deixando de lado os seres humanos, todo o tipo de alimento necessário para alimentar os animais poderia ser facilmente encontrada.

O orçamento do Diabo com o lucro da venda das garrafas não pode ser entendido na sua totalidade. Isso ocorre, pois seus seguidores pagam integralmente o imposto de Satanás usando todo tipo de bebida alcoólica, até que estas pessoas tenham que rastejar implorando para pagarem suas dividas. No entanto Satanás faz com que as pessoas descontem cada centavo recebido de lucro do seu trabalho no álcool. Quando as pessoas não têm mais dinheiro e condições de obtê-lo licitamente, Satanás faz com que elas roubem, matem, vendam sua honra e a sua castidade ou a de seus familiares e assim eu atesto que todos os viciados em álcool pagam o imposto do Satã.

Por causa do álcool as valiosas vidas de muitas pessoas de destaque foram destruídas. Tais pessoas via de regra perderam todos os valores que as faziam vitoriosas, além da ingestão de álcool ter destruído a saúde de milhares de pessoas que podiam ser consideradas grandes seres humanos. Assim como bons e grandes edifícios não podem ser construídos em cima de pântanos, não é possível estabelecer uma ordem duradoura e uma vida serena em uma nação de alcoólatras. Por esta razão as atividades de aperfeiçoamento devem precisam começar primeiramente no ato de despertar as pessoas para esta terrível situação.”[2]

Segundo os últimos relatórios da Organização Mundial da Saúde que abrangem trinta países, 85% dos homicídios (cerca de 60-70% vitimando pessoas da própria família), 50% das agressões sexuais, 50% dos incidentes envolvendo violência, 70% da violência domestica, 60% dos absenteísmos e entre 40% a 50% das doenças mentais se originam do abuso de álcool. A probabilidade de um bebê nascido de mães alcoólatras nascer com  problemas mentais gira em torno dos 90% e para uma mulher alcoólatra os riscos de ela dar a luz a um filho com algum tipo de deficiência é de 35%. Isto se dá pelo fato de que o álcool impede o desenvolvimento intra-uterino e prejudica o desenvolvimento pós-parto, além de causar atraso mental, déficit de altura e problemas comportamentais. Uma vez que os filhos de alcoólatras crescem em um ambiente com brigas e constante violência, o risco de um colapso emocional aumenta e a probabilidade de problemas comportamentais é muito alto. Portanto, a grande maioria dessa crianças infelizmente acabam obtendo muito pouco ou nenhum sucesso na vida escolar e profissional.[3]

De acordo com um relatório oficial do governo inglês, o ônus por agressões, lesões, despesas hospitalares, etc., devido ao álcool na economia inglesa é anualmente cerca de 20 bilhões de libras esterlinas (cerca de 30 bilhões de dólares americanos).[4]

O Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos estejam com ele) nos ordenou a: “Nunca bebam álcool, pois ele é a mãe de todos os erros e pecados.” (Ibn-i Majah, Ashriba, 1). E também disse: “Qualquer substancia que embriague é proibida mesmo em pequena quantidade.” (Abu Dawud, Ashriba, 5/3861; Thirmizi, Ashriba, 3/1865)

Por esta razão, não devemos ser enganados por aqueles que dizem “Não vai acontecer nada se você beber só um pouco e não se embriagar.” O critério é bastante claro, se algo leva a embriaguez em grande quantidade, então ele também é proibido em pequena quantidade. O Islam quer prevenir o mal da melhor forma possível, bloqueando todas as estradas para o pecado. Desconsidera soluções teóricas que não se harmonizam com a pratica. Estabelece proibições com grande sabedoria a fim de dissuadir as pessoas e prover o castigo mais adequado para aqueles que as violam. Estas situações demonstram como a nossa religião valoriza os seres humanos e abraça-os com infinita compaixão e misericórdia.



[1].      Al-Mâida (A Mesa Servida), 5: 90-91.

 

[2].      Grigory Petrov, Ideal Öğretmen (O Professor Ideal), Istanbul, 2005, pp. 48-52.

 

[3].      Musa Tosun, Artigo: “Icki” (Bebidas alcoólicas), Diyanet Islâm Ansiklopedisi – Encyclopedia of Islam  (Republic of Turkey, Presidency of Religous Affairs), XXI, p.463.

 

[4].      The Guardian, Saturday March 27 2004, “Sobering thoughts about a claim”, Sean COUGHAN.